O Centro de Investigação Internacional do Atlântico (AIR Centre), com sede nos Açores, vai inaugurar dois polos no Brasil, um no Rio de Janeiro, hoje, e outro em Salvador, na quarta-feira, na presença do ministro português da Ciência.

Os polos brasileiros do AIR Centre, dirigido pelo espanhol José Joaquín Hernández-Brito, irão desenvolver atividades nos domínios da computação e observação da Terra, com aplicação na segurança marítima, no apoio às pescas, na mobilidade das cidades e na gestão de risco, indicou o Ministério da Ciência, Tecnologia e do Ensino Superior.

O AIR Centre, sediado na ilha açoriana da Terceira, partiu da iniciativa de Portugal e tem o Brasil como um dos países fundadores.

Segundo o ministério, os polos do AIR Centre no Brasil "vêm reforçar a afirmação internacional" do centro de investigação, uma rede científica transnacional direcionada para o estudo do Atlântico nas áreas dos oceanos, clima, espaço, energia e ciência de dados.

O polo do Rio de Janeiro fica localizado no Laboratório de Métodos Computacionais em Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro, na Ilha do Fundão, enquanto o de Salvador está no Instituto de Geociências da Universidade Federal da Bahia.

Em declarações à Lusa a partir do Rio de Janeiro, o ministro da Ciência, Tecnologia e do Ensino Superior, Manuel Heitor, precisou que um dos primeiros trabalhos a desenvolver pelo polo do Rio de Janeiro será a "monitorização da biodiversidade" da Baía de Guanabara, "altamente poluída", com recurso à inteligência artificial e a sensores colocados na água e em satélites.

O polo de Salvador começará, entre outros projetos, com "o apoio às pescas e a análise da biodiversidade das zonas costeiras do nordeste brasileiro", adiantou.

De acordo com o ministro, trata-se de estudar "problemas" reproduzíveis à escala global, mas com "impacto local", até porque os polos do AIR Centre "têm autonomia para realizar os seus próprios projetos".

Depois do Brasil, Cabo Verde será o próximo país a receber uma valência do AIR Centre, que será formalizada em setembro, avançou Manuel Heitor.

O Centro de Investigação Internacional do Atlântico já tem polos em Espanha, Reino Unido, Angola, Nigéria e África do Sul, que são também países fundadores, juntamente com Portugal, Brasil e Cabo Verde.

A inauguração das valências brasileiras do AIR Centre enquadram-se numa visita de uma semana de Manuel Heitor ao Brasil, onde vai participar em conferências e "reforçar parcerias científicas e académicas" entre Portugal e quatro estados brasileiros: Rio de Janeiro, Paraná, Santa Catarina e Bahia.

Estas parcerias envolvem universidades e centros científicos e tecnológicos, nomeadamente o centro de engenharia Ceiia, de Matosinhos, que tem projetos na área da mobilidade automóvel no estado do Paraná.

Na visita, o ministro é acompanhado pelo diretor do AIR Centre, José Joaquín Hernández-Brito, e por responsáveis de instituições académicas e científico-tecnológicas.

Pin It