O presidente da Associação de Utilizadores de Veículos Elétricos (UVE) disse hoje que os "Açores" são um exemplo para todo o país na mobilidade elétrica, destacando os incentivos financeiros e a implementação de postos de carregamento.

"Os Açores são um exemplo para todo o país, quer a nível dos incentivos que foram recentemente aprovados para a aquisição de veículos elétricos, onde há majoração para as pessoas que possam adquirir um veículo elétrico e tenham contratos com tarifas bi-horárias ou tri-horárias, que privilegiam o consumo de energia renovável", avançou à agência Lusa Henrique Sánchez, falando à margem do Lagoa Smart City, evento que decorre entre hoje e sexta-feira na cidade de Lagoa, na ilha de São Miguel.

Henrique Sánchez destacou a implementação de postos de carregamento de veículos elétricos, por parte do Governo Regional, que irá abranger as nove ilhas do arquipélago.

"Temos um passo muito importante, que é dado pelo Governo Regional dos Açores, no sentido de dotar as ilhas, primeiro de uma rede de carregamentos, que facilita as pessoas a adoção, e depois a própria ajuda à aquisição de veículos elétricos", assinalou, destacando que a adoção de veículos elétricos faz "muito mais sentido numa ilha", porque "a questão da autonomia" dos carros "não se põe sequer".

No Programa de Mobilidade Elétrica nos Açores (PMEA), além de incentivos financeiros para individuais e empresas para aquisição de viaturas elétricas, o Governo Regional prevê a construção de postos de carregamentos para veículos elétricos até ao final do ano, num processo que teve início em outubro de 2018.

O presidente da UVE reconhece que o preço de compra dos veículos elétricos ainda é mais caro do que o dos veículos de combustão interna, mas afirma que para as empresas, devido aos incentivos existentes, a utilização deste tipo de veículos é mais económica.

"Os carros elétricos são ainda hoje mais caros, mas, para as empresas, a quantidade de benefícios que existem quer a nível nacional, quer regional, claramente, seria quase um atentado uma empresa não comprar um carro elétrico. Ele é muitíssimo mais barato", considerou, exemplificando: "as empresas podem recuperar IVA, não pagam imposto sobre veículos e não pagam imposto de circulação".

Henrique Sanchez referiu também as vantagens para o meio ambiente, afirmando que o veículo elétrico "não resolve tudo, mas é um passo que as pessoas podem dar".

"Do ponto vista ambiental, começamos a perceber que há furacões, incêndios, tornados, que antes só víamos ao longe, na Austrália, nos Estados Unidos, Canadá, e que neste momento já vimos, quer no continente, quer nos açores. É preciso fazer qualquer coisa. O veículo elétrico não resolve tudo, mas é um passo que as pessoas podem dar", disse ainda.

Pin It